Adultos e crianças aprendem inglês do mesmo jeito?

14/06/2019

Cada pessoa independentemente da idade pode aprender um outro idioma. Apesar das crianças terem algumas vantagens na aquisição de uma segunda língua, como a pronúncia e a compreensão oral, isso não significa que uma pessoa adulta não possa aprender também. Aliás, uma das diferenças é que o adulto tem um entendimento maior de um sistema linguístico e isso facilita a compreensão da gramática. 

Para as crianças, aprender inglês é muito mais natural (quando exposto a uma metodologia coerente), uma vez que as habilidades orais (o ouvir e o falar) são desenvolvidas primeiramente, assim como na língua materna. Já o adulto acaba ficando mais preso a leitura e escrita. E é justamente isso que deveria ser evitado. As aulas iniciais para os adultos deveriam ser parecidas, neste sentido, com a das crianças.

E, sim é possível promover uma aula eficiente para todas as idades seguindo uma mesma filosofia de ensino. Tanto com adultos quanto com crianças, pode-se usar as mesmas técnicas de aprendizagem; desde que as abordagens, assuntos e interesses sejam adaptados de acordo com cada faixa etária. O importante é que as aulas tenham a prioridade de fazerem os alunos ouvirem e falarem o idioma em diferentes contextos que façam sentido para eles.

Pois para aprenderem uma língua os alunos precisam ser protagonistas dos momentos de aprendizagem, precisam saber o objetivo de cada atividade, precisam poder fazer escolhas e precisam poder falar o que sentem e o que querem. Precisam ter voz, não importando a idade que tenham.

Na metodologia de ensino da Language in Life utilizamos diferente teorias e adequamos com outros conhecimentos adquiridos em mais de 12 anos de atuação no mercado de ensino de inglês. O nosso método é utilizado para crianças e adultos: começamos com os filhos e, com o passar dos anos, os pais também quiseram praticar inglês conosco. Por isso, seguimos os mesmos “class steps” para crianças e adultos, o que personalizamos são os interesses. Por exemplo, quando usamos um jogo de memória em aula com o tema de animais, que pode parecer a princípio infantil, dependendo da idade, mudamos a abordagem para explorar e o que exigir. Desta forma, o que buscamos como valor na Language in Life é tornar o processo de aprendizagem do aluno, independentemente da idade, prazeroso e eficiente.  Por Heloisa Tambosi

Singleton, D. (2002). The age factor in second language acquisition (2nd ed.). Clevedon: Multilingual Matters.

Philip, J. (2008). Second Language Acquisition and the Younger learner. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company.

LIL Brasília