ESCOLAS BILINGUES X CURSOS DE IDIOMA

17/11/2016

Quanto mais cedo melhor é, já um fato sobre a exposição de crianças a um segundo idioma.  A dúvida dos pais é onde, como e quantas horas de exposição seus filhos devem ter.

De acordo com Ofelia Garcia (2009), professora da City University of New York, dependendo do método de ensino da língua e do programa da escola bilíngue, fica difícil diferenciar entre educação bilíngue e aulas de inglês como segunda língua. Podemos assim entender que: o que realmente importa não a quantidade de horas de exposição (importante ressaltar que no Brasil ainda não temos uma política que padroniza e qualifica escolas bilíngues), mas sim como essa exposição é conduzida: o quanto a metodologia é apropriada para cada faixa etária, o quanto engaja a criança e o quanto é realmente capaz de se criar um contexto bilíngue, onde as duas línguas da criança (a materna e a segunda língua) são celebradas e respeitadas.

Cameron (2002) ressalta a importância da criança estar motivada a aprender inglês, independentemente do programa. Essa autora sugere que a desmotivação por causar uma barreira na relação da criança com inglês.

Importante também entender que bilingualismo não pode ser encarado como um ensino de culturas e tradições de outros países, para que não tenhamos apenas falantes de uma outra língua que apenas repetem o que lhes é ensinado. Mas do que isso, cidadãos bilíngues são pessoas capazes de fazerem suas escolhas linguísticas e culturais e de elaborar seu próprio pensamento e opiniões, os quais são baseados nas suas duas formas de pensar.

Podemos então concluir que o mais importante do que a carga horaria e o tipo de programa, é se a metodologia é apropriada e, consequentemente, instigante para as crianças. Quando essa relação é bacana, a criança cresce com o inglês como parte da vida dela de forma natural e saudável.

2003. Cameron, Lynne. ELT Journal 57/2: Challenges for the ELT from the expansion in teaching children
2008. Garcia, Ofelia. Bilingual Education in the 21st Century: A Global Perspective. Eiditora: Wiley-Blackwell

Erros comuns ao escolher sua Escola de InglêsLearning a language makes you more tolerant, so why aren’t more universities encouraging it?